Resumo

Título do Artigo

ANÁLISE DOS ENTRAVES E FACILITADORES NO PROCESSO DE OBTENÇÃO DE RECURSOS PARA P&D NA AMAZÔNIA OCIDENTAL
Abrir Arquivo

Palavras Chave

Lei de informática
Amazônia Ocidental
Inovação

Área

Inovação | Innovation

Tema

Gestão de P&D em empresas | R&D management in companies

Autores

Nome
1 - André Ricardo Reis Costa
2 - Neuzaí Marreiros Barbosa
3 - Adriano Guimarães
4 - Almir Kimura Junior
5 - Roberto Sbragia

Reumo

Pretende-se analisar as formas de acesso aos fundos que as leis de incentivo à inovação constituíram para fomentar atividades de P&D no estado do Amazonas. Especificamente, diante dos diplomas legais em inovação, esquematizou-se o fluxo do processo de obtenção de recursos junto às fontes de financiamento e apontaram-se os possíveis entraves e facilitadores burocráticos existentes no processo de obtenção de recursos junto às empresas.
Metodologia do tipo qualitativa e descritiva. Em análise documental, foi possível compreender a sinergia em potencial entre os vários dispositivos legais de incentivo a P&D aplicáveis na Amazônia Ocidental. Após coleta de entrevistas em trabalho de campo, foi possível analisar em profundidade a percepção de cinco atores relevantes do processo de P&D na Amazônia Ocidental. Diante dos documentos e entrevistas, foi possível mapear os processos usando a notação BPM com o software Bizagi Modeler, apontando os possíveis entraves e facilitadores.
Os entraves na obtenção de recursos para P&D na Amazônia Ocidental são a falta de engajamento mercadológico dos pesquisadores e a estrutura burocrática típica de universidades governamentais. A atuação das instituições coordenadoras a partir da Res. 13/2016 CAPDA marca os facilitadores potenciais no processo de obtenção de recursos. Para mitigar os entraves e potencializar os facilitadores, leis deveriam organizar as estruturas das universidades governamentais para o processo de inovação. E, novas leis também são necessárias para atualizar a Lei de Informática.
A pesquisa sublinhou os facilitadores e ofertou soluções aos entraves. Como solução aos entraves e potencialização dos facilitadores, leis podem requerer o engajamento das universidades governamentais. E, se por meio dos NIT’s os pesquisadores tiverem acesso ao sistema “SAGAT”, mitigar-se-ia o risco de serem preteridos em razão dos projetos das instituições coordenadoras. Recorda-se que acesso aos recursos está suspenso por insegurança jurídica. Por isso, é recomendável que pesquisadores analisem continuamente a efetividade das leis de incentivo à inovação, para que os tomadores de decisão escolham as melhores formas de prover os insumos necessários para gerar os novos e produtos, processos e serviços.
A originalidade consiste em demonstrar de modo objetivo os procedimentos que os pesquisadores devem aplicar para obter recursos para P&D na Amazônia Ocidental. Enfatizou-se, de modo inédito, parcela do faturamento a ser investida obrigatoriamente em projetos externos ao ambiente das empresas. Com a divulgação desse passo-a-passo, é possível atrair pesquisadores de outras regiões para adensar as pesquisas na Amazônia Ocidental. Também, ao demonstrar o reduzido número de projetos financiados, houve breve análise da efetividade das leis de incentivos a P&D, que depende do engajamento das instituições de pesquisa.